Edição n.º 129

Sinais positivos

O ano de 2019 está a poucos dias de terminar e, surpreendentemente ou talvez não, os sinais que têm vindo a ser conhecidos recentemente são positivos e animadores para o novo ano.

Comecemos pelas Bolsas de Valores, quer na Europa quer nos EUA, com registo de ganhos expressivos nos mercados accionistas mundiais. E isto devido a factores tão diferentes como o previsível acordo comercial entre Pequim e Washington ou o resultado inequívoco das eleições antecipadas no Reino Unido e a finalização do longo processo do Brexit que se arrastava há vários anos. Estes factores são decisivos para a economia mundial e poderão proporcionar um ambiente menos conflituoso que crie as condições necessárias para um maior crescimento.

Também em Portugal, 2020 poderá ser um ano de início sério e empenhado das variadíssimas reformas e alterações que terão de ser introduzidas para que avancemos rumo a uma sociedade que vai ser diferente, mais exigente e competitiva e permita dar aos portugueses a estabilidade e o bem-estar que ambicionam.

É urgente olhar para as questões que a demografia nos coloca e, tal como outras sociedades, tomar as medidas indicadas para estimular a natalidade, preservar a esperança de vida que fomos conseguindo nos últimos decénios e, sem preconceitos ideológicos, reformar a segurança social.

Mas há também que estar atento à evolução rápida da tecnologia, com a digitalização e a robotização, preparando Portugal atempadamente para esse futuro e até tendo a ambição de podermos estar na primeira linha dessa sociedade que aí vem. Há que não descurar a qualificação dos portugueses, a todos os níveis, com um grau de exigência que nos permita estar entre os melhores.

A construção de uma agenda digital e um desafio transversal a toda a sociedade e a todos os sectores, o qual pressupõe um compromisso firme entre todos e que tenha a virtude de mobilizar a nossa sociedade para esse novo contrato de confiança baseado numa nova inteligência estratégica.

E visto que a primeira parte do novo ano, em Portugal, vai estar muito focada no Orçamento do Estado, será aconselhável, para além de manter as despesas bem controladas, fazer todos os esforços para diminuir a dívida, ainda tão elevada, e diminuir a carga fiscal sobre as famílias e sobre as empresas. Essa desejável diminuição permitirá um maior investimento e será um incentivo à poupança.

Comecemos, pois, 2020 com um sentimento positivo e com a consciência de que os tempos são difíceis, mas o caminho vai-se abrindo passo a passo, com trabalho, esforço e ambição. Assim nós, portugueses, estejamos conscientes disso e preparados para trilhar esse caminho.


Rui Leão Martinho

Receba a nossa Newsletter

Notícias

CONTACTOS

geral@cadernoseconomia.com.pt

213 859 950

Rua Francisco Rodrigues Lobo, 2 R/C Dto. 1070-134 Lisboa

CONTACTE-NOS